CONDIÇÕES DE TRABALHO E SUA DIVISÃO SEXUAL NA INDÚSTRIA ELETROELETRÔNICA NO BRASIL

Autores

  • Thaís Souza Lapa Doutoranda da Universidade de Campinas (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.46269/5116.117

Palavras-chave:

sociologia do trabalho, sociologia do gênero

Resumo

Neste artigo são analisadas as condições de trabalho na indústria eletroeletrônica a partir da investigação do processo de trabalho e sua divisão sexual em plantas das indústrias eletroeletrônicas Samsung e LG instaladas no interior de São Paulo. Estas empresas transnacionais têm em comum o país de origem, a Coréia do Sul, integram chaebols e lideram mercado no Brasil e contratam majoritariamente mulheres nas funções de manufatura. O estudo se deu por meio entrevistas qualitativas semi-estruturadas com trabalhadoras/es (ou ex) destas empresas e dirigentes sindicais, bem como pesquisa documental e bibliográfica. Foi possível identificar que o trabalho neste setor é intensivo, penoso e que faz adoecer.

Biografia do Autor

Thaís Souza Lapa, Doutoranda da Universidade de Campinas (UNICAMP)

Doutoranda em Ciências Sociais na Unicamp. Mestre em Sociologia pela USP.

Referências

ARAUJO, Angela. M. C.; OLIVEIRA, Eleonora. M. Reestruturação produtiva e saúde no setor metalúrgico: a percepção das trabalhadoras. Sociedade e Estado. Brasília, v. 21, n. 1, p. 169-198, jan/abr. 2006.

BARRETO, Margarida. Assédio Moral no Trabalho: um risco invisível. In: COSTA, A. A. et al (orgs.). Um debate crítico a partir do feminismo: reestruturação produtiva, reprodução e gênero. São Paulo: CUT, 2002. p. 113-128.

BURAWOY, Michael. The politics of production. Factory Regimes Under Capitalism and Socialism. Great Britain: Verso, 1985.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social. Uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 1998.

DIEESE. O mercado de trabalho formal brasileiro: Resultados da RAIS 2013. Nota técnica número 140 – setembro de 2014. São Paulo: DIEESE, 2014.

DURAND, Jean P. A refundação do trabalho no fluxo tensionado. Tempo Social. Vol. 15, n. 1. São Paulo, Abr. 2003.

ELSON, Diane. PEARSON, Ruth. Nimble fingers make cheap workers: an analysis of woman employment in third world manufacturing. Feminist Review. Paris, n. 7, p. 87–107, 1981.

FLEURY, Maria T. L. Mudanças e persistências no modelo de gestão de pessoal em setores de tecnologia de ponta: O caso brasileiro em contraponto com o japonês. In: HIRATA, H. (org.). Sobre o “modelo” japonês. São Paulo: Edusp, 1993.

GAULEJAC, Vincent. Gestão como doença social. Ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Aparecida: Editora Ideias e Letras, 2007.

GOLLAC, Michel.; VOLKOFF, Serge. Les conditions de travail. Paris: La Découverte, 2007.

GUILBERT, Madeleine. Les fonctions des femmes dans l´industrie. Paris: La Haye, Mouton, 1966.

HIRATA, Helena. Reestruturação produtiva, trabalho e relações de gênero. Revista Latino-Americana de Estudos do Trabalho. Ano 4. n. 7, 1998.

HIRATA, Helena. Nova divisão sexual do trabalho? Um olhar voltado para a empresa e a sociedade. São Paulo: Boitempo, 2002.

HIRATA, Helena. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de Pesquisa FCC. São Paulo,, v. 37, n. 132, p. 595-609, set./dez. 2007.

HIRATA, Helena.; KÉRGOAT, Danièle. Divisão sexual do trabalho profissional e doméstico: Brasil, França, Japão. In: COSTA, A.O. et al. (orgs.). Mercado de Trabalho e Gênero: Comparações Internacionais. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

HIRATA, Helena.; HUMPHREY, John. Hidden inequalities: women and men in the labor process. Anais do IV Encontro de Estudos Populacionais. Águas de São Pedro, v.1, p.271-300, 1984.

HUMPHREY, Jonh. Fazendo o "milagre": controle capitalista e luta operária na indústria automobilística brasileira. Petrópolis: Vozes, 1982.

JUSBRASIL. Samsung: acordo judicial com MPT põe fim ao assédio e gera R$ 500 mil de indenização por danos morais. Campinas, 15 set. 2011. Disponível em:

<http://mpt-prt15.jusbrasil.com.br/noticias/2837741/samsung-acordo-judicial-com-mpt-poe-fim-ao-assedio-e-gera-r-500-mil-de-indenizacao-por-danos-morais>. Acesso em: 25 jul. 2015.

KERGOAT, Danièle. Les Ouvrières. Paris: Syncomore, 1982.

KERGOAT, Danièle. Dinâmica e consubstancialidade das relações sociais. Revista Novos Estudos. São Paulo, n. 86, p. 93-103, mar. 2010.

KITAY, Jim. The Labour Process: Still Stuck? Still a Perspective? Still Useful? Electronic Journal of Radical Organisation Theory. v.3, n. 1. p. 1-8. Jun. 1997. University of Waikato. Disponível em: www.mngt.waikato.ac.nz/depts/sm&l/vol_3/kitay.htm. Acesso em 04 jun. 2013.

LEITE, Marcia de P. Trabalho e sociedade em transformação. Mudanças produtivas e atores sociais. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2003.

LEITE, Marcia de P. Competitividade e trabalho na cadeia automotiva brasileira. Programa de Pesquisa em Ciência, Tecnologia, Qualificação e Produção. Convênio CEDES/FINEP-PROEDUC/CNPq - CCDT, 1997.

LEITE, Marcia de. P. e GUIMARÃES, Pilar C. “Tudo muda, nada muda: as implicações do uso das tecnologias de informação sobre o trabalho das mulheres no setor eletroeletrônico”. Cadernos Pagu. no. 44, 2015. pp. 333-366. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/1809-4449201500440333>. Acesso em 10 jan. 2016.

LOBO, Elisabeth. S. A classe operária tem dois sexos: Trabalho, Dominação e Resistência. 2.ed. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2011.

MELLO e SILVA. Leonardo. G. A organização sindical face aos novos paradigmas de organização do trabalho. Ariús. Revista de Ciências Humanas e Artes. Campina Grande, v. 13. n. 1. p. 1-7, jan./jul 2007.

MILKMAN, Ruth. Gender at work: The dynamics of Job Segregation by Sex during World War II. Urbana and Chicago: University of Illinois Press, 1987.

POCHMANN, Marcio. Nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Boitempo, 2012.

RIZEK, Cibele. S.; LEITE, Marcia de. P. Dimensões e representações do trabalho fabril feminino. In: ABRAMO, L.; ABREU, A. R.P. Gênero e trabalho na sociologia latino-americana. São Paulo: ALAST/SERT, 1998.

SAFFIOTI, Heleieth. Ontogênese e filogênese do gênero: ordem patriarcal de gênero e a violência masculina contra mulheres. Série Estudos e Ensaios/Ciências Sociais. FLACSO Brasil, 2009. Disponível em: <http://www.flacso.org.br/portal/pdf/serie_estudos_ensaios/Heleieth_Saffioti.pdf>. Acesso em 19 jul. 2015.

SALERNO, Mario. S. Modelo japonês, trabalho brasileiro. In: HIRATA, Helena (org). Sobre o “modelo” japonês. São Paulo: Edusp, 1993.

SALERNO, Vera. L., SILVESTRE, Mirian. P., et.al. Interfaces LER/ Saúde Mental: a experiência de um Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. São Paulo, v.36, n.123, p. 128-138, 2011.

SPROLL, Martina. "(Social) Upgrading" em redes transnacionais de produção? Brasil e o caso dos serviҫos de manufatura em eletrônica. (mimeo)

THOMPSON, Paul. The nature of work: An introduction to debates on the labour process. 2.ed. London: Macmillan, 1989.

WOOD, Stephen. (ed.) The Transformation of work? Skill, flexibility and labour process. London: Unwin Hyman 1989.

Publicado

2016-05-11