O populismo digital na campanha presidencial de 2018 no Brasil:

as páginas de Facebook de Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Messias Bolsonaro

Autores

  • Laura Gabrieli Pereira da Silva UNESP
  • Milton Lahuerta

DOI:

https://doi.org/10.46269/9220.659

Palavras-chave:

Populismo; Eleições 2018; Campanha digital.

Resumo

Contemporaneamente, o conceito de populismo tem sido resgatado e retrabalhado como chave explicativa para abordar dinâmicas políticas em curso. Com foco na dimensão de conteúdos oficiais de campanha, parte-se da análise empírica do discurso político de Jair Messias Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva em suas páginas oficiais de Facebook enquanto candidatos à presidência nas eleições nacionais de 2018, com o objetivo de discutir quais atributos podem ser identificados e explicados a partir desse conceito. Com recurso às incipientes discussões sobre populismo digital, verificaram-se pontos de associação e fortalecimento entre esses atributos e a linguagem favorecida pelas mídias sociais e pelo sistema midiático em rede. Com diferenças entre si, observou-se a presença de elementos populistas em ambas as páginas e, no caso de Bolsonaro, uma articulação entre mensagens populistas e recursos disponíveis no ambiente digital.

 

Referências

CESARINO, L. Como vencer uma eleição sem sair de casa: a ascensão do populismo digital no Brasil. Internet & Sociedade, v. 1, n. 1, p. 91-120, 2020.

DA SILVA, L. G. P. Eleições presidenciais de 2018 no Brasil: as páginas oficiais de Fernando Haddad, Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva no Facebook. Trabalho de Conclusão de Curso em Ciências Sociais. Orientador: Milton Lahuerta. Faculdade de Ciências e Letras, UNESP. 2020, no prelo.

DA SILVA, L. G. P. O Facebook nas eleições presidenciais de 2018 no brasil: o primeiro turno nas páginas de Luis Inácio Lula Da Silva (PT) e Jair Messias Bolsonaro (PSL) Anais do II Encontro Centro-Sul da Abciber. Disponível em: http://www.abciber2019.sinteseeventos.com.br/anais/trabalhos/artigoscientificos?simpo sio=18&impressao. Acesso em: 7 jul. 2020.

FOA, R. S.; MOUNK, Y. The signs of deconsolidation. Journal of Democracy, v. 28, n. 1, p. 5-15, 2017.

ITUASSU, A. et al. Campanhas online e democracia: As mídias digitais nas eleições de 2016 nos Estados Unidos e 2018 no Brasil. In: PIMENEL, Pedro Chapaval; TESSEROLI, Ricardo (orgs.). O Brasil vai às urnas. Londrina: Syntagma Editores, 2019, p. 15-48.

LACLAU, E. On populist reason. Londres: Verso, 2005.

LEVITSKY, S.; ZIBLATT, D. Como as democracias morrem. Editora Schwarcz- Companhia das Letras, 2018.

MOUFFE, C. For a left populism. Londres: Verso, 2018. MOUFFE, C. The democratic paradox. Londres: Verso, 2000.

MOUNK, Y. O povo contra a democracia: por que nossa liberdade corre perigo e como salvá-la. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

PENTEADO, C. L. de C. Marketing político na era digital: perspectivas e possibilidades. Revista USP, n. 90, p. 6-23, 2011.

QUATTROCIOCCHI, W., SCALA, A, SUNSTEIN, C. Echo Chambers on Facebook. DOI: http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.2795110, 2016.

RATINAUD, P. IRAMUTEQ: Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires, 2009. Disponível em: http://www.iramuteq.org

RIEDER, B. Studying Facebook via data extraction: the Netvizz application. In: Proceedings of the 5th annual ACM web science conference. ACM, 2013. p. 346- 355.

SCHMUCK, D.; HAMELEERS, M. Closer to the people: A comparative content analysis of populist communication on social networking sites in pre-and post-election periods. Information, Communication & Society, p. 1-18, 2019.

STROMER-GALLEY, J. Presidential campaigning in the Internet age. Oxford University Press, 2019.

VAN DIJK, T. A. Politics, ideology and discourse. In: Elsevier Encyclopedia of Language and Linguistics. Volume on Politics and Language (Ruth Wodak, Ed.), p. 728-740, 2006.

VAN DIJK, T. A. What is political discourse analysis. Belgian journal of linguistics, v. 11, n. 1, p. 11-52, 1997.

VILLEGAS, E. B. Facebook and its disappearing posts: data collection approaches on fan-pages for social scientists. The Journal of Social Media in Society, v. 5, n. 1, p. 160-188, 2016.

Publicado

2021-09-09