Arte afrodiaspórica: uma análise sociológica da exposição “PretAtitude: Emergências, Insurgências e Afirmações na arte contemporânea afro-brasileira”

Autores

  • João Felipe Gomes Carvalho Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.46269/9120.552

Palavras-chave:

Estética, Agência Política, Diáspora Africana, Artes Visuais, Insurgências

Resumo

Este artigo apresenta dados de uma investigação, cujo objetivo foi análisar  a relação entre estética e agência política negra em  artes visuais contemporâneas. Trata-se de observar, a partir de algumas obras  da exposição “PretAtitude: Emergências, insurgências e afirmações na arte contemporânea afro-brasileira”  os componentes estéticos de modo a identificar os elementos potencializados pela experiência da diaspora africana evidenciados nas obras. Desse modo, é possível estabelecer um debate sobre os paradigmas intencionais das obras , tendo em vista a motivação textualizada do curador em escolher como tema das exposições “emergências, insurgências e afirmações” como sugere o próprio título.

Referências

DU BOIS, W. E. B. As almas da gente negra. Trad. Heloisa Toller Gomes. Rio de Janeiro: Lacerda Ed., 1999.

GILROY, Paul. (2001) O Atlantico Negro. Modernidade e dupla consciência, São Paulo, Rio de Janeiro, 34/Universidade Candido Mendes – Centro de Estudos Afro-Asiáticos.

HALL, Stuart. Cultura e representação / Stuart Hall; Organização e Revisão Técnica: Arthur Ituassu; Tradução: Daniel Miranda e Willian Oliveira. – Rio de Janeiro : Ed. PUC-Rio : Apicuri, 2016.

__________. Identidade cultural e diáspora. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro, n. 24, 1996.

RUTHERFORD, Jonathan. O terceiro espaço. Uma entrevista com Hommi Bhabha. p. 34-41. Revista do Patrimônio Histórico Artístico Nacional – Nº 24 – 1996.

Serviços Social do Comércio. PretAtitude: Emergências, insurgências e afirmações na arte contemporânea afro brasileira. Editora Sesc: São Paulo, 2018.

SILVÉRIO, Valter. (Ed.). Síntese da Coleção História Geral da África: Pré-História ao século XVI. UNESCO/Brasil; MEC; UFSCar. 2013.

Publicado

2020-02-24