“Onde a ação se une com a ideia: produção do espaço urbano e sociabilidade juvenil em uma batalha de rimas”

Autores

  • Carolina Hummel UFSCar

DOI:

https://doi.org/10.46269/9120.549

Palavras-chave:

hip-hop, cidade, juventude, sociabilidade

Resumo

Resumo

Este artigo visa refletir sobre como categorias como sociabilidade e circulação pela cidade estão conectadas à ocupação do espaço público pela perspectiva da juventude engajada no movimento hip-hop. Com pesquisa de campo[1] realizada em uma batalha de rimas de São Carlos, o trabalho se debruçará nas notas da experiência no evento para discutir, em conjunto com a literatura e com letras de rap, como os jovens estão pensando e produzindo seus espaços dentro da cidade.

 

[1] A pesquisa de campo em questão foi realizada como exercício na disciplina de Etnografia em Sociologia ministrada pelo Profº Gabriel Feltran, no segundo semestre de 2018.

Referências

Bibliografia

ADERALDO, Guilhermo. “Entre imagens e imaginários: estética e política nas intervenções visuais/audiovisuais de coletivos culturais paulistanos”. pp. 55-79 em: Pluralidade urbana em São Paulo: vulnerabilidade, marginalidade, ativismos sociais. Organizado por Kowarick, Lúcio e Frúgoli Jr, Heitor. São Paulo: Editora 34, 2016.

AGIER, Michel. Do direito à cidade ao fazer-cidade: o antropólogo, a margem e o centro. Mana, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 483-498, 2015.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Inscrição e circulação: novas visibilidades e configurações do espaço público em São Paulo. Novos estud. - CEBRAP, São Paulo, n. 94, p. 31-67, Nov. 2012.

_______. Qual a novidade dos rolezinhos? espaço público, desigualdade e mudança em São Paulo. Novos estud. - CEBRAP, São Paulo, n. 98, p. 13-20, Mar. 2014.

CHANG, Jeff. Can’t Stop Won’t Stop: A History of Hip-Hop Generation. Nova Iorque, Picador, 2005.

ESTRELA D’ALVA, Roberta. Teatro Hip-Hop. São Paulo, Perspectiva, 2014.

NELSON, George. Hip Hop America. Nova Iorque, Penguin, 1998.

PARDUE, Derek.; OLIVEIRA, Lucas A. City as mobility: a contribution of brazilian saraus to urban theory. Vibrant, Virtual Braz. Anthr., Brasília, v. 15, n. 1, e151400, 2018.

PEREIRA, Alexandre Barbosa. "A maior zoeira": experiências juvenis na periferia de São Paulo. 2010. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

_______. “Quem não é visto, não é lembrado: sociabilidade, escrita, visibilidade e memória na São Paulo da pixação”, Cadernos de Arte e Antropologia [Online], Vol. 1, No 2 | 2012.

_______. Aprendendo a ser jovem: a escola como espaço de sociabilidade juvenil. In: XIII Congresso Brasileiro de Sociologia. GT12: Gerações – entre Solidariedade e Conflitos, 2007.

ROSE, Tricia. Black noise: Rap music and black culture in contemporary America. University Press of New England Hanover & London, 1994.

TEJERA, Daniel B. Rap: o duelo de rimas no cotidiano do jovem. Dissertação - (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2013.

TELLES, Vera da Silva. Cidade: produção de espaços, formas de controle e conflitos. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 46, n. ja/ju 2015, p. 15-41, 2015.

TEPERMAN, Ricardo. Se liga no som: as transformações políticas do rap no Brasil. São Paulo: Claro Enigma, 2015.

Publicado

2020-02-24