O conservadorismo não entra em quarentena

novos avanços e rumos da “ideologia de gênero” na educação

Autores

  • Edimauro Ramos Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT)
  • Mariana Bruno Pinto

DOI:

https://doi.org/10.46269/9ee20.499

Palavras-chave:

Ideologia de gênero, educação, projeto de lei

Resumo

Este ensaio visa problematizar os novos rumos do factoide da “ideologia de gênero”, que teve um novo enfoque no Brasil em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Em maio de 2020, veio a público um projeto de lei do deputado Filipe Barros, filiado ao Partido Social Liberal (PSL), no qual ele reivindica que o gênero seja, em outras palavras, sinônimo de sexo biológico, o que é inconstitucional e retrógrado aos direitos conquistados pela comunidade LGBTQIA+, sobretudo pela comunidade trans. Com isto, olhando para o operar da tramitação desse slogan,pretende-se nesse ensaio debater sobre a influência deste projeto e de seus intuitos na educação brasileira e como seus subterfúgios instalam discursos, ofensivas antigênero e diferenciação.

Biografia do Autor

Edimauro Ramos, Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT)

Pedagogo e pesquisador graduado pelas Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT). Professor de Educação Básica

Referências

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

DUARTE, M. J. O. Vidas precárias e lgbtqifobia no contexto da pandemia: a necropolítica das sexualidades dissidentes. APES. 2020. Disponível em: https://www.apesjf.org.br/wp-content/uploads/LGBT_Convid_19_APES-1.pdf. Acesso em: 06 jun. 2020.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo, Edições Loyola, 1996.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós modernidade. Rio de Janeiro, DP&A, 2006.

JUNQUEIRA, R. D. A invenção da “ideologia de gênero”. In: RIBEIRO, Marcos. (Org.) A conversa sobre gênero na escola: aspectos conceituais e político-pedagógicos. Rio de Janeiro, Wak Editora, 2019.

PARAÍSO, M. A. A ciranda do currículo com gênero, poder e resistência. Currículo sem fronteiras, v. 16, n. 3, p. 388-415, 2016.

_______________. Fazer do caos uma estrela dançarina no currículo: invenção política com gênero e sexualidade em tempos do slogan “ideologia de gênero”. In: PARAÍSO, Marlucy Alves; DA SILVA CALDEIRA, Maria Carolina (Ed.). Pesquisas sobre currículos, gêneros e sexualidades. Mazza Edições, 2018.

TIBURI, M. Feminismo em Comum. Rio de Janeiro, Rosa dos Ventos: 2018.

SOUZA, J.F. Gênero e sexualidade nas pedagogias culturais: implicações para educação infantil. Apresentado na 22ª Reunião Anual da Anped, Caxambu, MG, 1999. Disponível em: http://titosena.faed.udesc.br/Arquivos/Artigos_gensex/SexualidadeInfantil.pdfAcesso: 12 jun.2020.

Publicado

2020-12-17

Edição

Seção

Edição Especial (in)cômodos