Moralidades que se chocam: fronteiras discursivas no cotidiano de uma Delegacia de Defesa da Mulher

Autores

  • Fabiana de Andrade

DOI:

https://doi.org/10.46269/1112.434

Resumo

Muito se discute acerca dos motivos que impulsionam vítimas de violência doméstica a procurarem a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e desistirem de suas queixas logo após seu registro. Nas narrativas das policiais, as diversas explicações para esse fenômeno colocam em circulação uma moralidade institucional para solucionar essa contenda. Ao mesmo tempo, as vítimas desse tipo de violência acionam outras moralidades que se constituem em estratégias de enfrentamento da violência, chocando-se com o esperado pela polícia. Dessa forma, a proposta desse trabalho é observar os efeitos produzidos no atendimento policial a partir do choque, das fronteiras discursivas, entre moralidades e expectativas de policiais e de vítimas de violência doméstica acompanhando o cotidiano de uma DDM paulista.

Publicado

2020-05-03

Edição

Seção

Artigos