Os efeitos e as medidas: crise e contrarreformas e as respostas da FEM-CUT/SP

Autores

  • Eduardo José Rezende Pereira Universidade Federal de São Carlos
  • Joelson Gonçalves de Carvalho Doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), docente vinculado ao Departamento de Ciências Sociais da UFSCar (DCSo - UFSCar)

DOI:

https://doi.org/10.46269/8119.397

Palavras-chave:

Crise econômica, Crise política, Sindicalismo, Retrocessos sociais.

Resumo

A crise sistêmica do capitalismo afeta os índices de desenvolvimento dos países centrais e periféricos. O Brasil sente o aprofundamento dos efeitos dessa crise econômica junto a uma crise política, que coloca os interesses da classe patronal na agenda governamental. A desindustrialização e os retrocessos sociais afetam diretamente os trabalhadores e as suas formas de organização coletiva. Buscamos compreender como a Federação dos Sindicatos dos Metalúrgicos da Central Única dos Trabalhadores de São Paulo (FEM-CUT/SP) atua neste cenário, caracterizando as respostas que foram oferecidas e mapeadas a partir do seu 8º Congresso, realizado no ano de 2019, e classificando-as de duas maneiras: aquelas relacionadas às mudanças organizacionais e financeiras da entidade, e aquelas que tangem às suas readequações no plano das táticas e do discurso político.

Biografia do Autor

Eduardo José Rezende Pereira, Universidade Federal de São Carlos

Formado em Ciências Sociais, com ênfase em Ciência Política (2019) e Sociologia, em andamento. É mestrando em Ciência Política pelo Programa de Pós-Graduação da UFSCar (PPGPOL),

Referências

BOITO JR., Armando. (1991). O sindicalismo de Estado no Brasil: uma análise crítica da estrutura sindical. Campinas (SP): Editora da Unicamp, São Paulo (SP): HUC!TEC, 1991

BOITO JR., Armando. Por que foi fraca a resistência ao golpe de 2016? Revista O Comuneiro nº25.q., 2017. Disponível em: http://www.ocomuneiro.com/nr25_10_ArmandoBoito.html. Acesso em: 24/11/19.

BOITO JR., Armando. As bases políticas do neodesenvolvimentismo (pp. 99 – 119). In: BOITO JR., Armando. Reforma e crise política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT. Campinas (SP): Editora da Unicamp, São Paulo (SP) Editora da UNESP, 2018.

BRIDI, Maria et al. Sociologia do Trabalho no Brasil hoje: balanço e perspectivas. Revista Brasileira de Sociologia, vol. 06, No. 12. Janeiro-Abril, 2018.

CARDOSO, André (Org.); CNM-CUT. As faces da indústria metalúrgica no Brasil: uma contribuição à luta sindical. São Paulo (SP): Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), 2015.

DIEESE. 2016, um ano para os fortes. Boletim de conjuntura nº 10, março de 2017. 2017a. Disponível em: https://www.dieese.org.br/boletimdeconjuntura/2017/boletimConjuntura010.html

Acesso: 12/11/2019.

DIEESE. País segue mergulhado em crises política e econômica. Boletim de conjuntura nº 11, julho de 2017. 2017b. Disponível em: https://www.dieese.org.br/boletimdeconjuntura/2017/boletimConjuntura011.htmAcesso em: 12/11/19.

DIEESE. Horizonte continua incerto: para onde estamos indo? Boletim de conjuntura nº 17, dezembro de 2018. 2018. Disponível em: https://www.dieese.org.br/boletimdeconjuntura/2018/boletimConjuntura017.htm.Acesso em: 12/11/19.

DIEESE. A economia brasileira em marcha lenta. Boletim de Conjuntura nº 18, maio de 2019. 2019a. Disponível em: https://www.dieese.org.br/boletimdeconjuntura/2019/boletimConjuntura018.html. Acesso em: 12/11/19.

DIEESE. Análise ICT. 2019b. Disponível em: https://www.dieese.org.br/analiseict/2019/032019.html Acesso em: 12/11/19.

DIEESE. O novo desmonte nos direitos trabalhistas: A MP 905/2019. Nota Técnica nº 215, novembro de 2019. 2019c. Disponível em: https://dieese.org.br/notatecnica/2019/notaTec215MP905.html.Acesso em: 12/11/2019.

DIEESE. PEC 6/2019: como ficou a Previdência depois da aprovação da reforma no Senado Federal. Nota técnica nº 219, novembro de 2019. 2019d. Disponível em: https://www.dieese.org.br/notatecnica/2019/notaTec214ReformaPrevidenciaAprovada.html. Acesso em: 12/11/2019.

FEM-CUT/SP. Cadernos de Texto Base. Praia Grande (SP). 2019a.

FEM-CUT/SP. Plano de lutas. Praia Grande (SP). 2019b.

Fundação Ulysses Guimarães, Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Uma ponte para o futuro. 2015. Disponível em: https://www.fundacaoulysses.org.br/wp-content/uploads/2016/11/UMA-PONTE-PARA-O-FUTURO.pdf..Acesso em: 01/11/2019.

GALVÃO, Andrea et al. Dossiê reforma trabalhista. Campinas (SP): Cesit/IE/Unicamp. 2017. Disponível em: http://www.cesit.net.br/dossie-reforma-trabalhista.Acesso em: 20/10/2019.

GALVÃO, Andrea; MARCELINO, Paula. O sindicalismo brasileiro diante do golpe. Congresso de Estudos Latino-Americanos, Lima-Peru, 2017.

IBGE. Brasil: distribuição espacial da indústria. Agência de notícias do IBGE. 2019a. Disponível em: https://atlasescolar.ibge.gov.br/images/atlas/mapas_brasil/brasil_distribuicao_industrias.pdf.Acesso em: 12/11/2019.

IBGE. Em setembro, indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados. Agência de Notícias do IBGE. 08 de novembro de 2019. 2019b. Disponível em:https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25920-em-setembro-industria-cresce-em-dez-dos-15-locais-pesquisados. Acesso em: 12/11/2019.

INVESTE SP. Setores de negócio. Disponível em: https://www.investe.sp.gov.br/setores-de-negocios/. Acesso em: 12/11/2019.

KREIN, José D. O desmonte dos direitos, as novas configurações do trabalho e o esvaziamento da ação coletiva: consequências da reforma trabalhista. Tempo Social. vol.30 no.1 São Paulo (SP), Janeiro-Abril, 2018.

MATTOS, Marcelo B. Trabalhadores e sindicatos no Brasil. São Paulo (SP): Expressão Popular, 1.ed., 2009.

MEMORIA FEM-CUT/SP. Linha do tempo: FEM-CUT/SP. Disponível em: http://memoria.fem.org.br. Acesso em: 20/07/2019.

POCHMANN, Márcio; MORAES, Reginaldo. Capitalismo, classe trabalhadora e luta política no início do século XXI: experiências do Brasil, Estados Unidos, Inglaterra e França. POCCHMAN, Márcio (Org). São Paulo (SP): Fundação Perseu Ábramo, 1.ed., 2017.

SANTANA, Marco Aurélio; BRAGA, Ruy. O pêndulo oscilante: sociologia do trabalho e movimento sindical no Brasil. Cadernos CRH, vol.22, no.56, Salvador (BA), Maio-Agosto, 2009.

SINGER, André. Do sonho rooseveltiano ao pesadelo golpista. Revista Piauí, edição 140. Maio de 2018. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/materia/do-sonho-rooseveltiano-ao-pesadelo-golpista.Acesso: 12/11/2019.

Publicado

2020-04-07