A doutrina da ROTA: o ethos do “Policial de ROTA”

Autores

  • Henrique de Linica dos Santos Macedo Macedo Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.46269/8119.339

Palavras-chave:

ROTA, Polícia Militar, Moralidades, Doutrina

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar a doutrina das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), destacando a moralidade nela descrita e imposta. A “Doutrina de ROTA”, categoria nativa dos sujeitos da pesquisa, carrega em si uma série de histórias e prescrições morais que orientam as práticas profissionais e pessoais dos policiais que pertencem a este batalhão da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP). Neste sentido, a “doutrina de ROTA” passa a ser uma cruzada moral dos policiais, uma forma constante de ação que demonstra uma resistência a mudanças sociais e institucionais. Ao analisar a produção bibliográfica de policiais que já passaram pelo batalhão, além de outras fontes discursivas colhidas durante a realização do campo, constatou-se que um padrão discursivo que sempre evocava a “doutrina de ROTA”, uma forma organizacional de organizar e consolidar uma forma de “fazer polícia”. Contudo, essa uniformização demonstrou uma forma política e militarizada de conduzir práticas e disputar moralidades, seja internamente na PMESP, seja na sociedade. O resultado de pesquisa demonstrou como essa dinâmica interna produziu uma visão de mundo que busca uma uniformização de condutas, cujo objetivo é ressaltar a imagem

Biografia do Autor

Henrique de Linica dos Santos Macedo Macedo, Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos

Doutorando em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar. É mestre em sociologia pela mesma instituição, trabalha com a temática a mais de oito anos. Membro do Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos (GEVAC).

Referências

BARCELLOS, C. Rota 66: A História da Polícia que Mata. São Paulo: Editor Globo, 1992.

BECKER, H. Outsiders: Estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2008.

CALDEIRA, T.P. Rio. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: EdUSP. Ed. 34, 2000.

CAMÕES, L. Os Lusíadas, ed. E. Paulo Ramos, Porto, Porto Editora, 1990.

CASTRO, C. O Espírito Militar: Um estudo de antropologia social da Academia Militar das Agulhas Negras. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 1990.

FOUCAULT, M. A Ordem do discurso. [S.I]: Edições Loyola, 1999.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

KANT DE LIMA, R. Ensaios de Antropologia e de direito. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2008.

KOMATA, N. B. Dos Valores Doutrinários. Jornal Boina Negra. São Paulo, n. 3, p. 7,

ago/set/out, 2004.

MACEDO, H. L. S. “Confrontos” de ROTA: A intervenção policial com “resultado morte” no estado de São Paulo. São Carlos: UFSCar, 2015.

MISSE, M. Crime, sujeito e sujeição criminal: aspectos de uma contribuição analítica sobre a categoria “bandido”. In: Lua Nova, v. 79. [S.I], 2010 : pp.15-38.

MUNIZ, J. Ser policial é, sobretudo, uma razão de ser: Cultura e Cotidiano da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.Tese (Doutorado em Ciência Política – Instituto Universitário de Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro). Rio de Janeiro. 1999.

PAIXÃO, A. L. Organização Policial numa área metropolitana. In: Dados - Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, s. n., vol. 25, n. 1, 1982.

REINER, R. A política da polícia. São Paulo: Edusp, 2004.

ROMANI, C. Antecipando a era Vargas: a Revolução Paulista de 1924 e a efetivação das práticas de controle político e social. Topoi (Rio de Janeiro), 2011, 12.23: 161-178.

SINHORETTO, J. Controle social estatal e organização do crime em São Paulo. In: Revista Dilemas, Vol. 7, n. 1. [S.I.: s.n], 2014: pp.167-196.

STORANI, P. Vitória Sobre A Morte: A Glória Prometida: O “ritual de passagem” na construção da identidade dos Operações Especiais do BOPE. Dissertação (Mestrado em Antropologia– UFF). Niterói, 2008.

TELHADA, P. A. L. Quartel da Luz: Mansão da Rota. São Paulo: just editora, 2011.

Dissertações e Teses Profissionais

COUTINHO, J. A. Produtividade Operacional no 1º Batalhão de Polícia de Choque

“Tobias de Aguiar”: Baseada na Ferramenta Abordagem Policial. SP: PMESP, CAES,

CAO, 2013.

JUNIOR, B. C. Sistematização do Patrulhamento Tático e Adequação dos Equipamentos para Otimização das Operações de Patrulhamento Inteligente: Estudo de Caso do 1º BPCHQ “Tobias de Aguiar”. SP: PMESP, CAES, CAO, 2007.

Publicado

2020-04-07