Corpos atléticos e força bruta: a dicotomia corporal racializada na supremacia branca esportiva

Autores

  • Marcio Antonio Tralci Filho Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.46269/7118.273

Palavras-chave:

Filosofia, Racismo, Esporte, Modernidade, Colonização

Resumo

Esse ensaio faz uma análise sobre o papel das práticas esportivas na consolidação dos ideais de superioridade racial branca pensados pelo projeto de modernidade europeia e operacionalizados pelo colonialismo, bem como suas repercussões nas considerações sobre corpos racializados. Para tanto, foram utilizados referenciais teóricos da filosofia africana e afrodiaspórica contemporânea, bem como escritores que buscaram, sob o escopo da psicologia, analisar as repercussões corporais da supremacia branca. A partir desse panorama, foi possível estabelecer uma crítica ao projeto racial da modernidade e sua relação com a instituição do esporte moderno, principalmente a partir da constituição do Olimpismo como prática colonialista, baseada em análises de textos escritos por seu fundador. Por fim, é proposta uma categoria analítica relacionada a esse contexto: a “dicotomia corporal racializada”.

Biografia do Autor

Marcio Antonio Tralci Filho, Universidade de São Paulo

Bacharel, Licenciado e Mestre em Educação Física pela USP. Atualmente é doutorando do Programa de Psicologia Social do Insituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Referências

BOURDIEU, Pierre. Como se pode ser esportista? In.: BOURDIEU, Pierre. Questões de Sociologia. Lisboa: Fim de Século, 2004b, pp. 181-203.

CARRINGTON, Ben. Race, Sport and Politics: The Sporting Black Diaspora. Londres: Sage Publications, 2010.

COUBERTIN, Pierre de. France on the Wrong Track. The American Monthly Review of Reviews, v. 23, n. 4, pp. 447-450, 1901.

______. La question nègre. Le Figaro. Paris, p. 1. 26 set. 1903.

______. Colonisation sportive. Bulletin du Bureau International de Pédagogie Sportive, Lausanne, n. 5, p. 13-14, 1931.

ELIAS, Norbert e DUNNING, Eric. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.

FANON, Frantz. Peles negras, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERREIRA, Jonatas; HAMLIN, Cynthia. Mulheres, negros e outros monstros: um ensaio sobre corpos não civilizados. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol.18, n.3, pp. 811-836, set/dez 2010.

GALTON, F. Hereditary genius: an inquiry into its laws and consequences. London: MacMillan and Co., 1892.

GIGLIO, Sergio Settani. COI x FIFA: a história política do futebol nos Jogos Olímpicos. 2013. 518 f. Tese (Doutorado em Ciências), Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

GOBINEAU, Arthur de. The moral and intellectual diversity of races, with particular reference to their respective influence in the civil and political history of mankind. Filadélfia: J. B. Lippincott & Co., 1856.

MARTINS, Carlos J.; ALTMANN, Helena. Características do Esporte Moderno segundo Elias e Dunning. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL PROCESSO CIVILIZADOR, 10., 2007, Campinas. Anais... . Campinas: FEF/UNICAMP, 2007. p. 1 - 7.

MBEMBE, Achilles. Crítica da Razão Negra. Lisboa: Antígona, 2014.

______. Necropolítica. Arte & Ensaios, Rio de Janeiro, n. 32, pp. 122-151, dez. 2016.

MILLS, Charles W. The Racial Contract. Ithaca: Cornell University Press, 1997.

MORE, Mabogo P. African Philosophy Revisited. Alternation, Durban, vol. 3, n. 1, pp. 109-129, 1996.

MURRAY, William J. France, Coubertin and The Nazi Olympics: The Response. Olympika: The International Journal of Olympic Studies, v. 1, pp. 46-69, 1992.

NOGUEIRA, Isildinha Baptista. Significações do Corpo Negro. 1998. 143 f. Tese (Doutorado) - Curso de Psicologia, Departamento de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

RUBIO, Katia. Jogos Olímpicos da Era Moderna: uma proposta de periodização. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v.24, n.1, p.55-68, jan./mar. 2010.

RUBIO, Katia; CARVALHO, Adriano L. Areté, fair play e o movimento olímpico contemporâneo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v. 5, n. 3, p. 350-357, set. 2005.

SCHANTZ, Otto J. Pierre de Coubertin’s “Civilizing Mission”. In: NINTH INTERNATIONAL SYMPOSIUM FOR OLYMPIC RESEARCH, 9., 2008, Beijing. Pathways: Critiques and Discourse in Olympic Research. Ontario: International Centre For Olympic Studies, 2008. p. 53 - 62.

TRALCI FILHO, Marcio Antonio; SANTOS, Alessandro de Oliveira. O discurso da supremacia branca e o esporte: um estudo a partir de textos e comentários na Internet. Movimento, Porto Alegre, v. 23, n. 1., p. 229-248, jan./mar. de 2017.

Publicado

2018-06-18