Direito e Política: aposentadoria voluntária e filiação partidária de ex-ministros Ellen Gracie e Nelson Jobim.

Autores

  • Sarah Pereira da Silva Bacharel em Ciências Sociais UFSCar

DOI:

https://doi.org/10.46269/5216.214

Palavras-chave:

STF, Ellen Gracie, Nelson Jobim, ex-ministros, judicialização

Resumo

Este artigo busca compreender como o capital político acumulado por ex-ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) afeta o processo de judicialização da política. O STF é o órgão de cúpula do Poder Judiciário e tem o papel de interpretar e aplicar a Constituição e seus atores, os ministros, têm portanto grande responsabilidade, visibilidade e poder político. Com isso, após sua aposentadoria tais elementos não se perdem por completo e estes indivíduos podem optar pela carreira política. Neste estudo analisamos a carreira pós STF de Ellen Gracie e Nelson Jobim, que se aposentaram voluntariamente antes dos 70 anos e em seguida, filiaram-se a partidos políticos. Para ilustrar a argumentação teórica, este estudo conta com uma análise de notícias veiculadas pelo jornal Folha de São Paulo entre 1994 e 2014.

Referências

BARROSO, Luís Roberto; Judicialização, Ativismo Judicial e Legitimidade Democrática. RDE. Revista de Direito do Estado, v. 13. 2009, p. 71-91.

BONELLI, Maria G. Profissões, política e Estado. UFSCAR. São Carlos, 2002.

BOURDIEU, Pierre; O Poder Simbólico. Bertrand, Rio de Janeiro, 1998

COELHO; Edmundo C.; As Profissões Imperiais: Medicina, Engenharia e Advocacia no Rio de Janeiro 1822-1930. Editora Record, 1999, Rio de Janeiro

COOK, Timothy E. Governing with the News: The News Media as a Political Instituition. Chicago. The University of Chicago Press, 1998.

_______________ O jornalismo político. Rev. Bras. Ciênc. Polít. [online]. 2011, n.6, pp. 203-247. ISSN 0103-3352.

DEZALAY, Yves; GARTH, Bryant; A Dolarização do Conhecimento Técnico Profissional e do Estado: processos transnacionais e questões de legitimação na transformação do Estado, 1960-2000. RBCS, vol. 15, nº 43, Junho de 2000.

DIEGUEZ, Consuelo; PARA TODA OBRA, Revista Piauí; 04 de agosto de 2011; disponível em: http://revistapiaui.estadao.com.br/materia/para-toda-obra/

DOMINGO, Pilar; Estado de derecho. Ciudadanía, derechos y justicia en América Latina: Ciudadanización-judicialización de la política. Revista CIDOB d’Afers Internacionals: Fundació CIDOB, ISSN 1133-6595, n°s 85-86. p. 33-52. Espanha, 2009.

DUBAR, Claude; A Socialização: Construção das identidades sociais e profissionais. Porto. Editora Porto, 1997

FONTAINHA, Fernando; DE PAULA, Jalles; GUIMARÃES, Fabrícia; SATO, Eduardo; Nelson Jobim in História Oral do Supremo [1988-2013]; Volume 9. FGV Rio; Rio de Janeiro, 2012.

MACIEL, Débora Alves; KOERNER, Andrei. Sentidos da judicialização da política: duas análises. Lua Nova [online], n. 57, p. 113-133, 2002.

MELO, Marcus André; PEREIRA, Carlos. Making Brazil Work - Checking the President in a Multiparty System. Palgrave Macmillan. New York. 1 Ed. Agosto, 2013.

MENDES, Gilmar Ferreira. Jurisdição Constitucional. 5ª ed., São Paulo: Saraiva, 2007.

OLIVEIRA, Fabiana Luci. O Supremo Tribunal Federal no Processo de Transição Democrática: uma análise dos conteúdos dos Jornais Folha de S. Paulo e o Estado de S. Paulo. Revista Sociologia e Política [online]; n.22, pp. 101-118. ISSN 1678- 2004. 2004.

POZZOBON, Roberson Henrique. O Supremo Tribunal Federal e a judicialização da política no Brasil. Revista da Faculdade de Direito UniRitter, Porto Alegre, n. 10, p. 97-118, 2009.

RODRIGUES, Maria de Lurdes; Sociologia das Profissões, Celta, Portugal (Oieras), 1997.

SANTOS, Eduardo. O Sistema Político Brasileiro Hoje: o governo do Supremo Tribunal Federal e a legitimidade democrática. Sociologias, Porto Alegre, ano 15, nº 33, mai./ago. 2013.

TATE. C. Neal; VALLINDER, Torbjörn. The Global Expansion of Judicial Power. New York and London: New York University Press, 1995.

WEBER, Max; A Política Como Vocação; Universidade de Munique. Alemanha; 1919

WERNECK VIANNA, Luiz. A judicialização da política no Brasil, In WERNECK VIANNA, Luiz et alii, A judicialização da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Revan, 1999, p. 47–70.

WERNECK VIANNA, Luiz. A judicialização das relações sociais, In WERNECK VIANNA, Luiz et alii, A judicialização da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Revan, 1999, p. 149–156.

Publicado

2017-02-07