Burocratas do Nível de Rua: uma análise interacionista sobre a atuação dos burocratas na linha de frente do Estado

Tarcísio Perdigão Araújo Filho

Resumo


Este artigo contém reflexões sobre as principais características e peculiaridades da chama- da “burocracia do nível de rua”. Policiais, assistentes sociais, agentes de fiscalização são exemplos de integrantes dessa categoria analítica por se constituírem como uma das principais interfaces do Estado perante os cidadãos. Estes trabalhadores vivenciam limitações, dificuldades e pressões semelhantes para desempenharem suas funções, principalmente porque, estão em constante relacionamento direto com os cidadãos. Por isso, busco neste artigo lançar mão da literatura da sociologia interacionista como um aprofundamento teórico que suporte novas reflexões acerca dos efeitos e do valor dos momentos de interação entre burocratas do nível de rua e seu público para a implementação dos serviços públicos.


Palavras-chave


Burocracia do nível de rua; discricionariedade; interacionismo; empreende- dorismo moral; impositores de regras.

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Howard S. Outsiders: Studies in the Sociology of Deviance. Free Press Paperback, New York, 1963.

BRODKIN, Evelyn Z. Putting Street-level Organization First: New Directions for Social Policy and Management Research. University of Chicago, 2011.

CROZIER, Michel. O Fenômeno Burocrático. Editora Universidade de Brasília, Brasília, 1963.

DAS, Veena; POOLE, Deborah (Eds.) Anthropology in the Margins of the State. Oxford: School of American Research Press/ James Currey, Santa Fé. 2004.

ETZIONI, Amitai. Organizações Modernas. Pioneiras, São Paulo, 1976.

FILGUEIRAS, Fernando, MELO ARANHA, Ana Luiza. Controle da Corrupção e Burocracia da Linha de Frente: Regras, Discricionariedade e Reformas no Brasil. Dados - Revista de Ciências Sociais, vol. 54, núm. 2, 2011, pp. 349-387.

GOFFMAN, Ervin. Frame Analysis: Na essay on organization of experience. Northeasten Uni- versity Press, Boston, 1986.

LIPSKY, Michael. Street-level Bureaucracy. Dilemmas of the individual in public services. Russell Sage Foundation, New York, 1980.

____________. Toward a Theory of Street-level Bureaucracy, in W. Hawley & M. Lipsky (eds) Theoretical Perspectives on Urban Politics, Eaglewood Cliffs, NJ, Prantice Hall, 1976.

LOTTA, Gabriela. S.. Estilos de Implementação: ampliando o olhar para análise de políticas públicas. In: Encontro Nacional de Administração Pública e Governo, 2008, Salvador. Anais do 3o Encontro Nacional de Administração Pública e Governo, 2008

________________. Implementação de Políticas Públicas: o impacto dos fatores relacionais e organizacionais sobre os Burocratas de Nível de Rua no Programa Saúde da Família. Tese (doutorado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

LOTTA, Gabriela S. & PAVEZ, Thais. Agentes de implementação: mediação, dinâmicas e estruturas relacionais. In. Congresso LASA, São Paulo, 2009.

MARCH, J.G. e SIMON, H.A., Teoria das organizações, Rio de Janeiro, FGV, 1972.

MERTON, R. K. Estrutura burocrática e personalidade. In: CAMPOS, Edmundo (Org.). Sociolo- gia da burocracia. Rio de Janeiro, Zahar, 1976.

MISKOLSCI, Richard. Do Desvio às Diferenças. Teoria & Pesquisa, São Carlos, v. 47, n.01, p. 9-42, 2005.

MUNIZ, Jacqueline de Oliveira . Discricionariedade Policial e a Aplicação Seletiva da Lei na Democracia. In: Leonardo Sica. (Org.). Revista Ultima Ratio. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2008, v. 2, p. 97-122.

WEBER, Max. “Burocracia”, in C. Wright-Mills e H. Gerth (eds.), Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro, LTC, 2002, pp. 138-170.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Áskesis – Revista dos Discentes do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar consiste em uma publicação semestral dedicada a discutir e divulgar trabalhos acadêmicos, fomentando a prática do exercício crítico de pesquisadorxs, bem como o diálogo entre as linhas de pesquisa do Programa e as temáticas da sociologia contemporânea. A Áskesis pretende ser um espaço de publicação de artigos, ensaios, resenhas, traduções, entrevistas, além dos resumos das dissertações e teses defendidas no programa. Aceitamos também relatos de pesquisas de estudantes de graduação e pós-graduação com a finalidade de incentivar a divulgação de seus primeiros trabalhos.